Início Doppler Vamos Falar sobre Doppler Transcraniano?

Vamos Falar sobre Doppler Transcraniano?

Vamos Falar sobre Doppler Transcraniano?

Doppler Transcraniano?

À primeira vista este nome pode até causar uma certa estranheza, não é mesmo? É normal, pode acreditar. Afinal, estes termos não são tão comuns assim quanto parece.

Apesar de estranha, esta nomenclatura representa um grande avanço para a medicina moderna e também diz respeito a um equipamento que se tornou fundamental para as instituições de saúde por aí.

Por isso, vamos explicar direitinho tudo o que você precisa saber sobre o Doppler Transcraniano!

Então vamos por partes. Para começar, o que é um Doppler?

O Doppler nada mais é do que um exame clínico, semelhante ao ultrassom, bastante útil para a medicina de hoje em dia. Ele permite a identificação e análise das estruturas internas do corpo humano que são pertencentes ao sistema circulatório.

Na prática, o Doppler se utiliza de ondas sonoras refletidas a fim de verificar o fluxo de sangue por meio de um vaso sanguíneo. Com isso, a ideia é identificar prováveis coágulos e outros tipos de obstruções.

Este processo é de grande importância, pois ajuda a avaliar, em tempo real, em que estado se encontra o fluxo sanguíneo, além do sentido e a velocidade de circulação do sangue nos vasos e nas cavidades cardíacas.

Vamos Falar sobre Doppler Transcraniano?

O Doppler pode ser aplicado na investigação de qualquer questão relacionada à circulação sanguínea. É, inclusive, bastante utilizado na obstetrícia para controle da saúde da mãe e também do bebê antes mesmo do nascimento.

E o Doppler Transcraniano?

Baseado no sistema de Doppler, método que emite pulsação de ondas de baixa frequência, o Doppler Transcraniano (DTC) é realizado em pacientes que necessitam de atenção na área cerebrovascular.

O principal objetivo é avaliar a circulação sanguínea dos principais vasos intracranianos. Dessa forma, é possível fazer o diagnóstico e indicar tratamentos para possíveis problemas cerebrais como, por exemplo, o Acidente Vascular Cerebral (AVC) popularmente conhecido como Derrame Cerebral.

Um dos principais avanços é que o Doppler Transcraniano é um exame não invasivo ao paciente. Ele não utiliza ou emite qualquer tipo de radiação, assim não gera efeitos colaterais de nenhuma natureza.

Além disso, este exame pode ser realizado quantas vezes forem necessárias.

Vamos Falar sobre Doppler Transcraniano?

Assim, contribui muito no caso de pacientes com diagnósticos que necessitam de acompanhamento frequente e também por longos períodos.

Como o Exame é Feito?

 

O exame, na verdade, é bastante simples, indolor e nada invasivo. Na maior parte das vezes, não exige nem grandes preparados para a sua realização. Pode ser feito em idosos, adultos e crianças. Não há contraindicação.

 

Basicamente, um transdutor emissor das ondas sonoras inaudíveis ao ouvido humano desliza pela pele em locais estrategicamente definidos. Quando colocado em regiões do crânio com baixa densidade óssea, esse dispositivo permite o acesso às artérias que precisam ser investigadas.

Na via temporal, posicionada nas laterais do crânio na linha das orelhas, é possível avaliar o fluxo sanguíneo de artérias como, por exemplo, a carótida interna e as cerebrais média, anterior e posterior.

Por outro lado, na vida trans-orbitária, que é quando o transdutor é colocado sobre a pálpebra fechada do paciente, é possível analisar o fluxo sanguíneo da artéria oftalmológica e carótida interna.

Além destes que foram citados, existem vários outros posicionamentos para verificar a circulação, sentido e fluxo sanguíneo intracerebral com uma maior precisão. Basta levar em conta a localização de cada uma delas.

Percebeu como o Doppler Transcraniano é importante na análise da circulação sanguínea cerebral? Então fique de olho nos próximos conteúdos e conheça ainda mais. Afinal, quando se fala em saúde, informação é fundamental!